Pular para o conteúdo principal

Transitividade

 " Iniciando com uma poesia para aguçar os sentidos " .


Transitividade

Assim como a terra seca precisa da chuva;
A ave, das asas;
O peixe, do mar;
O lírio, dos campos;
A nuvem, do céu;
A abelha, da comeia;
A borboleta, do casulo;
O caminho, dos obstáculos;
A rosa, dos espinhos;
Um dia quente, de um sorvete;
Um dia frio, de um cobertor e um bom livro;
O verbo transitivo, de um complemento;
Um simples texto, de uma coerência;
Dom Casmurro, da casmurrice;
Cecília Meireles, da dor, para compor os mais lindos versos;
A Física, de Einstein;
A combustão, do comburente;
As ciências precisam da Filosofia;
O mundo precisa de sustentabilidade;
O homem, de uma razão para existir.

De igual forma eu preciso de Ti!
Porque sem Ti, eu sou como um risco.
Como um texto sem nexo.
Um verbo inconjugável.
Um artigo indefinido.
Um substantivo inalterável
Em grau, número e gênero.

( Jêh Niz - Abril 2010 )

Comentários

  1. Cacete, e eu que sou a inspiração de tudo isso é?
    Velho, tu escreve suuper bem, adorei o poema. Adorei tuuudo. Sempre que atualizar, estarei por aqui!

    beijo Jéh, e sucesso sei que vai ter porq teu talento não é tão fácil de se encontrar por ai não.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Luíza :)
    Se vem de você, escritora consagrada, eu recebo como elogio. Quem sabe eu alcance seu patamar (risos). Amo ler suas ideias!
    beijin ;*

    ResponderExcluir

Postar um comentário

E o que você diz?

Postagens mais visitadas deste blog

Deficiência humana

Não, o amor não é cego.
   Ele por si só enxerga verdades: a necessidade de habitar em nós para existir.
   Ele é autónomo, mas não é auto-existente: precisa de nós para ser, de fato, amor.
  O homem é cego por atribuir ao amor sua própria deficiência.


Olhos que mal enxergam o mundo

Eu vejo o que os olhos alheios insistem
Em não querer ver.
Eu vejo o ruído da dor.
Eu vejo o mundo emudecer
Por querer ter a Tudo
Ao invés de ser.

Vejo a tarde que parte,
O frio que invade,
O tempo que bate em minha porta
Apressando o Tudo a se findar.

Os seus olhos veem aquilo que eles querem ver
Eles mal enxergam o mundo, inclusive a você.



Guarde a última lágrima

Se eu chorar
guarde a última lágrima,
junte meus cacos,
pois no envolto do seus braços encontro paz.

Se eu chamar-te
ignore-me a palavra
e o meu pedido de socorro
não seja agradável aos teus ouvidos.

Porque eu te quero
e, após algum tempo, deixo de te querer.
Porque és abrigo e tormenta.
Porque estou ao teu lado e não posso te ter.