Pular para o conteúdo principal

Olhos que mal enxergam o mundo


Eu vejo o que os olhos alheios insistem
Em não querer ver.
Eu vejo o ruído da dor.
Eu vejo o mundo emudecer
Por querer ter a Tudo
Ao invés de ser.

Vejo a tarde que parte,
O frio que invade,
O tempo que bate em minha porta
Apressando o Tudo a se findar.

Os seus olhos veem aquilo que eles querem ver
Eles mal enxergam o mundo, inclusive a você.



Comentários

  1. Eu digo que o mundo é ter, e o espaço que se tem para ser é também ter!
    Me sinto perdido, acho que da mesma forma que você!
    Força, para nós dois! rs
    Obrigado pelo comentário!
    Fico feliz em ter com quem compartilhar os peixes que estão sob o lago da minha existencia!
    Bjo, o blog tem um layout legal!

    ResponderExcluir
  2. - Eiiii meninaa! tu manda muitoo bemm, muito Beautiful,
    hehe, que Deus continue te dando essa inspiração,
    você tem o dom, aproveitee

    Beeijo pra ti (L

    ResponderExcluir
  3. Bacana...muito bem pensado...e pura verdade...somente veem aquilo que convém...

    []s

    ResponderExcluir
  4. Já eu,..quanto amis eu vejo, mas vontade eu tenho de ser cego!

    ResponderExcluir
  5. queridaaa, o que foi isto?
    Perfeito, perfeito mesmo!
    Caramba, que talento, esse eu preciso pôr em meu blog, quero sua autorização.

    ResponderExcluir
  6. Já escrevi sobre taç, mas vc sabe como poetizar as coisas rude. parabéns!

    ResponderExcluir
  7. Ah, obrigada leitores!
    Fico feliz em ter alcançado vossos corações *-*

    ResponderExcluir
  8. Já dizia o ditado: "o pior cego é aquele que não quer enchergar".

    E são tantos os parâmetros que fazem as pessoas cegarem-se, que... enfim, parte da particularidade de cada um, da conveniência de fazer "vista grossa", ou até mesmo do perfil emocional - o "cego de nascença".

    Bom texto, ótimo Blog.

    Beijão,

    Lucas Magalhães.

    ResponderExcluir
  9. Lindo, flor, como todos que você faz!
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  10. Nossa, mas que lindo! É impressionante a clareza e suavidade das tuas palavras Jeh, adoro ler suas criações, me enxergo nelas. :D Parabéns, escrever bem é um dom invejável. Beijos

    Thaissa de Paula.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

E o que você diz?

Postagens mais visitadas deste blog

Deficiência humana

Não, o amor não é cego.
   Ele por si só enxerga verdades: a necessidade de habitar em nós para existir.
   Ele é autónomo, mas não é auto-existente: precisa de nós para ser, de fato, amor.
  O homem é cego por atribuir ao amor sua própria deficiência.


Guarde a última lágrima

Se eu chorar
guarde a última lágrima,
junte meus cacos,
pois no envolto do seus braços encontro paz.

Se eu chamar-te
ignore-me a palavra
e o meu pedido de socorro
não seja agradável aos teus ouvidos.

Porque eu te quero
e, após algum tempo, deixo de te querer.
Porque és abrigo e tormenta.
Porque estou ao teu lado e não posso te ter.